Frases Soltas do Pensador (www.pensador.info)

domingo, 22 de novembro de 2015

Paixões Modernas


Olhar a sua foto e não ter coragem de te chamar.
Abrir seu perfil e querer dizer que te adoro,
Mais uma vez a coragem que se vai.
Tanta tecnologia não me ajuda a me aproximar.
Se, estando ao seu lado, não consigo,
Tão difícil quanto, é me valer de tudo isso,
Palavras escritas, ondas, satélites, 
A conexão entre as mentes e as máquinas
Wi-Fi, pensamentos, desejo...
Sem ligações, sms, mensagens no aplicativo...
Eu só consigo abrir a sua foto para te olhar 
E dizer mentalmente:
Fica comigo!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Prece


Será que em algum lugar
Desse dito Céu
Há alguém que esteja me escutando?
Será que essa pessoa tem
Todas as respostas,
As cartas na manga,
E sabe o momento certo
De apresentar as soluções certas?
Se há alguém me escutando, não peço,
Não mais,
Eu desafio:
Mostre-me suas respostas,
As alternativas existentes,
Mostre-me o caminho,
O que nele posso encontrar.
Porque noites regadas a vinho,
Lágrimas e Blues,
Têm me deixado cansada e descrente.
Não sinto mais o chão sob meus pés,
Sequer sinto meus pés...
...estou solta no ar...suspensa...
...sem rumo...sem chão...
...só!
Se não é naqueles olhos,
Me diga, você aí em cima,
Onde mais vou me encontrar?
Se não é nas 5 letras do acróstico,
Na 12ª letra do alfabeto de 26 letras,
Naquele sorriso que me faz esquecer do tempo,
Onde mais?
Traga-me, por favor,
Outra taça de vinho,
Uma resposta,
Uma solução...Alguém...
...que me ajude a esquecer daquele sorriso.
...porque agora a lembrança dele só me traz dor.

domingo, 30 de agosto de 2015

Jogo de Palavras - Um Novo Acróstico


                                                              
Leia em meus olhos.


                                       Uma única vez é o bastante.


                                                                           Cada coisa que calo.


                                           Aquelas palavras que não falo.

                                                                            Somente meus olhos poderão dizer.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Palavras dispersas

A música que tocava no rádio já a estava tocando há muito tempo no coração.
Aquele arrepio, aquela sensação ao lembrar dos olhos dele e daquele sorriso.
Ao mesmo tempo uma leve tristeza pela impossibilidade que os separa.
Dentre tantas escolhas, ela escolheu ser sua amiga...a única forma de tê-lo por perto.
...mas, sempre chega uma hora em que a alma quer mais e a alma pede um encontro com aquela outra alma.
São dois Universos distintos, mas que poderiam se encontrar...dois eus formariam, então, uma intersecção.
Poderiam...poderia ser. Mas, ele escolheu um outro caminho. Questionável, mas ainda assim, passível de ser respeitado por ela...que queria vê-lo feliz de qualquer jeito.
...com ela, sem ela...o que importa é que, ainda assim, ela sentia sua alma leve e seu caminho livre.
Aquela calma de quem sabe onde quer chegar, aquela paz que só o tempo pôde dar.
Poderia doer só um pouquinho, mas, afinal...àquela altura, ela já não se importava...e seguiu, enfim...
...sozinha e feliz à sua maneira.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Olhos de Outono

Algum dia quero falar dos seus olhos,
Olhos da cor das folhas amareladas
Que caem das árvores em tardes de outono,
Olhos da cor do Sol, logo ao amanhecer,
Olhos da cor do ocre,
Com mil histórias gravadas,
Olhos com o brilho do citrino,
Reluzentes, vivos, intensos...
Ainda quero transformar em palavras
Tudo o que dizem esses olhos,
Tão claros, tão raros.
Ainda quero traduzir as sensações,
Olhos que adentram, revolvem, 
Instigam.
Ainda vou escrever uma poesia
Sobre seus olhos,
Esses olhos
Dourados,
Seus olhos de outono.
Algum dia...
Te tiro da minha poesia,
Te arranco das lembranças,
Te trago de volta para a minha vida,
Você e seus olhos,
Esses olhos...flamejantes...
Seus olhos...olhos que os meus ainda buscam
Esses olhos...que trazem a minha saudade
Em suaves tons de sépia.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Meu Querido John - Ou uma tarde ouvindo todas as suas músicas


Ela adorava aqueles olhos oblíquos, escondidos atrás dos óculos.
Aquele sorriso meio maroto, aqueles traços finos, parecendo desenhados.
Aqueles cabelos esvoaçantes que, naquele dia, sobre o telhado do edifício, o faziam parecer imortal.
Aquela voz, ora rouca, ora grave, que ecoava indo além dos seus sonhos, calando em sua alma.
Ela sentia como que uma ligação, um elo que os unia, uma emoção que a tomava quando ouvia suas canções.
Ela lembrava do dia em que ele se foi, mesmo sendo apenas um bebê naquela época, aquela foi sua primeira lembrança.
Não tentem entender...
Ela sentia, de forma meio inexplicável e irracional, que estava ligada a ele...que o encontraria.
Ele pediu "Imagine", ela imaginou, ele suplicou "Don't Let Me Down" e "Stand By Me", ela teria estado lá para apoiá-lo. Porém quando ele sentenciou "The Dream Is Over", ela se recusou a aceitar...pelo menos para ela os sonhos viveriam sempre e ele viveria dentro desses sonhos.
Ela foi Julia, Prudence, Sadie, Michelle, Lucy, todos os nomes...ela foi Cynthia, foi Yoko, mas, acima de tudo, foi ela mesma, dentro da sua adoração por ele.
Ela deu prosseguimento à geração que o conheceu e se recusou a adorá-lo, simplesmente pela moda, como alguns que vieram...sua devoção era genuína...com um pouco de ciúmes também.
Ela adorava aquele ar irônico que ocultava uma profunda carência, uma certa tristeza, ela adorava seu ativismo, ela se inspirava nele e só não perdoava seus pecados porque achava que ele estava acima de tudo isso.
Ela tinha um livro com trezentas de suas cartas e se perdia em sua caligrafia, sentindo sua energia, como se as suas mãos tivessem acabado de traçar aquelas linhas.
Ela sabia tudo sobre ele, mas ela sabia tão pouco, porque ela queria mais, muito mais do que sabia...queria tê-lo, queria sê-lo, queria respirá-lo. Queria trazê-lo de volta à vida para que pudesse estar, ao menos, por um minuto ao seu lado.
Seu nome significava renascida, mas, ela queria que o renascido fosse ele...apenas ele...John Lennon!!!