Frases Soltas do Pensador (www.pensador.info)

domingo, 20 de junho de 2010

The Doors - The Severed Garden

Não sei se devido à proximidade da data em que completarão 39 anos da morte do inesquecível Rei Lagarto, Jim Morrison, mas, desde o começo de Junho venho sentindo uma inexplicável necessidade de contar um pouco de sua história, através dessa música.
Tudo parecia conspirar para que eu desistisse...o programa que, simplesmente, "travava" aos 80% da conclusão do vídeo, o YouTube que, ora suspendia o áudio do vídeo, ora suspendia o próprio vídeo...não vou dizer que tenha sido vencida, mas, resolvi esperar mais um pouco.
Eu havia tido aquela espécie de chamado que os artistas sentem para compor (quem dera eu pudesse ser um!), aquela inspiração, aquela urgência...eu não estava me propondo executar um projeto, eu sentia que PRECISAVA dele...pronto...urgentemente!
Discorri, incansávelmente, sobre isso no meu Twitter e concluí que estava se tornando algo semelhante a uma gestação completa: a expectativa, a ansiedade, você ser capaz de imaginar a face do seu filho antes mesmo dele nascer, e, finalmente, o parto em si, com suas dores, mas, também com seu alívio e o orgulho de ver a sua criação pronta, perfeita, única!
E é chegada a hora de compartilhar com todos a minha criação...humilde homenagem, porém feita com a minha alma.

Jim Morrison (nascido James Douglas Morrison; Melbourne, 8 de Dezembro de 1943 — Paris, 3 de Julho de 1971), como todos sabem, foi um cantor, compositor e poeta norte-americano, vocalista da banda de rock The Doors.Aos 4 anos presenciou um acidente, no qual viu morrer um índio, cuja alma, segundo ele, passou a habitar seu corpo.
Mais sobre ele em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jim_Morrison

E esse vídeo é um pouco de sua história contada em imagens, trechos de outros vídeos e a música The Severed Garden, de sua banda.

"If the doors of perception were cleansed, every thing would appear to man as it is, infinite. (Se as portas da percepção estiverem limpas/ Toda coisa se apresentará ao homem como ela é: infinita) "- Willian Blake

Wow, I'm sick of doubt
Live in the light of certain
SouthCruel bindings.
The servants have the power
Dog-men and their mean women
Pulling poor blankets over
Our sailors
I'm sick of dour faces
Staring at me from the tv
Tower, I want roses in
My garden bower; dig?
Royal babies, rubies
Must now replace aborted
Strangers in the mud
These mutants, blood-meal
For the plant that's plowed.
They are waiting to take us into
The severed garden
Do you know how pale and wanton thrillful
Comes death on a strange hour
Unannounced, unplanned for
Like a scaring over-friendly guest you've
Brought to bed
Death makes angels of us all
And gives us wings
Where we had shoulders
Smooth as raven'sClaws
No more money, no more fancy dress
This other kingdom seems by far the best
Until it's other jaw reveals incest
And loose obedience to a vegetable law.
I will not go
Prefer a feast of friends
To the giant family.

(The Doors - The Severed Garden)

http://vagalume.uol.com.br/the-doors/the-severed-garden-traducao.html


video

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Loucura

Loucura é ter a coragem de dizer,
Sem fingir, sem disfarçar,
Que eu amo você.
Loucura é não querer esconder,
É ostentar, é contar,
A quem mais queira saber.
Loucura é não me preocupar,
É jogar, sem blefar,
Arriscar,
Tendo a certeza de que não vou
Perder.
Loucura é lançar, por terra,
Todas as máscaras, disfarces,
Me apresentar como sou
E bradar o que sinto.
É ousar, alçar meu vôo,
Cada vez mais alto,
Tendo o Céu por limite.
Loucura é assumir,
Não mentir,
Loucura é sentir,
Mas, louco...quem não é?
Loucura é admitir,
É loucura, e confesso,
Mas sou louca por você.

Apesares

Nada há de se interpor a nós,
Não há contratempos, distância,
Intrigas.
O que é nosso está guardado,
O que vivemos é só nosso
E vivemos do nosso jeito,
Pouco convencional, mas nosso.
Não houve tempo que nos afastasse,
Caso que nos separasse,
Ou "porém" que nos esfriasse.
Veja, você é tão mais meu,
Como eu sempre fui sua,
Apesar dos pesares,
Nossas idas sempre tiveram voltas,
Nossas esperas, pacientes,
Nos colocaram frente a frente,
Apesar da passagem dos anos,
Apesar de quem, por nossas vidas,
Passou,
Apesar de quem, em sua vida,
Continuou,
Nada, nem ninguém, nos separou.
Mesmo quem pensou
Que, com feitiços, te prendeu,
Ainda não se deu conta
De que se enganou,
Por todo esse tempo você me buscou,
Sempre sabendo onde me encontrar,
Eu, que aqui sempre estive,
Aquela que te ama, que te quer,
Eu...
Aquela que sabe
Que não há mais quem saiba
Mais do que eu, como te amar.

Coisas que só você faz

Uma voz, ao telefone,
E, desse lado, a ansiedade,
Vontade de atravessar essa linha,
Saudade.
Aquecida por suas palavras,
Intensas,
O "Eu te Amo" que se oculta
Em um simples "Te Adoro",
Quando sabemos que é muito mais.

Coisas que só você pode:
Dissipar o frio da madrugada
Com o calor do seu sorriso,
Os olhos brilhando no monitor,
Desafiando a distância,
Essa tola que pensa nos separar.
Sua voz, ao telefone,
Te trazendo para tão perto,
Me fazendo te sentir...aqui,
Quase podendo te tocar.
Invadir os meus sonhos,
Me seduzir,  me envolver,
Para que, mesmo quando acordar,
Eu ainda possa sentir você.

Coisas que só você faz
com sua voz, seu sorriso,
Seu olhar,
Me leva até você,
Perto o suficiente para esquecer
Que, no momento, ainda há
Uma distância que precisamos vencer.

Abstrato

Rimas perdidas,
Desencontradas,
Letras espalhadas,
Versos sem sentido,
Idéias lançadas ao vento,
Palavras desconexas,
Complexas,
Falando de um sentimento
Infinito,
Inexo:
Meu amor por você.

Acróstico II

Rumo, de encontro,
Ao calor do seu corpo.
Pego-me sonhando, acordada,
Habitante de um Universo
Aonde sempre vou
Em busca da sua presença,
Lançando-me, sem pensar no que chamo: Te amar.

Tentando te esquecer,
Esqueço que não consigo...

Antes que te esqueça,
Mais fácil esquecer de mim,
Ou esquecer que esqueci de te esquecer.

Decido não esquecer,
Escolho te amar,
Mais do que deveria,
Apesar de ser mais do que supõe.
Insisto no que acredito
Ser meu único e infinito caminho: você.

O Segredo

Com palavras, verbalizo
Tudo o que o Universo planejou,
Em silêncio, mentalizo
O que o Destino me reservou.
O Segredo...não mais Segredo,
Tudo o que o tempo revelou.
Caminho sabendo que, hoje, a ansiedade,
Ainda é parte da Saudade,
Que, em breve, se chamará Felicidade,
A certeza de quem lutou e conquistou.

Não mais o grito de desespero,
Não mais lágrimas em meu travesseiro,
Não mais te ver, sem saber
Em que ponto nossos caminhos se encontrariam.
Não mais te querer, sem poder,
Duvidar que nossos destinos se cruzariam.
Não mais dividir e me contentar
Com o que me coubesse,
Com pedaços de instantes que, porventura,
Restariam.

É lutar, caminhar, acreditar,
Saber que o agora constrói o amanhã
E o presente é só o princípio do futuro,
É parte de um tempo,
Conclusão da trajetória,
O começo da nossa história
E o final da estrada.
No local exato onde você estará,
Tão meu, a me esperar.

Magia e Sedução

Baila, Gitano,
Baila em volta da fogueira,
Baila, Gitano,
Destila sua sedução sob a lua cheia,
Baila, Gitano,
Me cerca, me conquista, me hipnotiza,
Baila, Gitano,
À minha volta, me chama, me convida.
Hoje sei que sou sua
Mulher, Cigana, Sacerdotiza.
Baila, Gitano, não me deixe,
Nossa história à luz da Lua,
Me abrace, me tome, me beije,
Baila Gitano,
Apodere-se do que te pertence:
Minha alma, meu corpo, meu coração,
Esse amor que te dedico, com devoção.
Baila, Gitano,
Mas, comigo bailará,
Não mais ocultos, mais do que amigos,
Em uma taça de vinho, uma poção,
Eu, em seus braços, uma paixão.
Finalmente, sua,
Finalmente, às claras,
A seqüência, a continuação
De uma certa noite, a tempos,
Uma festa, uma fuga,
Um encontro, às escuras,
No vazio de uma rua,
Um beijo caliente sob a luz da Lua,
Mais que momento, loucura,
Magia e Sedução.