Frases Soltas do Pensador (www.pensador.info)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Antíteses


Entre meu querer e não-querer estava a dúvida,
E, escondido sob essa dúvida, estava meu medo.
Medo de querer e você não querer,
De avançar e com suas barreiras me deparar.
Entre minha vontade de falar e minha propensão a calar,
Estava a necessidade de ser sincera...
Entre o tentar e o recuar,
Estava a certeza de que eu poderia falhar.
Antíteses, paradoxos, contradições da vida...
Seguir sem saber onde se pode chegar...
Mesmo que, na verdade, não se queira avançar...
Não muito, não mais do que o aconselhável pela prudência.
Entre seu "sim" e meu "talvez" estava escondido o seu "não",
A sensação de que não era aquele o momento.
Entre a certeza de que deveria respeitar o seu momento
E a vontade de quebrar sua muralha recém-construída,
Estava o súbito desejo de estar ao seu lado
Para, simplesmente, segurar suas mãos e te fazer sentir melhor.
E, oculta estava, em tudo isso, a minha busca
Por alguém que conseguiu entrar em meu coração
E, nessa busca, mais uma vez, a vontade
De olhar nos olhos desse alguém
E permitir que lesse em meus olhos
O que se passava em minha alma...
E acima de todas as antíteses, paradoxos e contradições,
Estava a certeza de que nada disso fazia sentido algum,
Mas, não importava, contanto que, sob tantas inverossimilhanças,
Eu pudesse, finalmente revelar a vontade de viver o momento...
Desde que esse momento fosse não só meu, mas seu, também.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Anjos e Palavras




Tudo aconteceu tão rápido e ela mal teve tempo para se situar...palavras e palavras com o poder de uma espada, atravessaram a muralha que ela havia construído em seu coração...afinal, quem ali estava, permaneceria, mas, ninguém mais haveria de entrar...
...ao menos, era isso o que ela pensava e era nisso que ela acreditava...piamente, se agarrando nessa verdade com a força de um náufrago que acha um pedaço de madeira no meio do mar.
Súbito, em um momento de distração, surge um anjo que disse a ela palavras que penetraram em cada um de seus poros e, seguindo por suas veias, atingiram seu coração.
Muralhas? Que muralhas? Elas tinham a resistência de uma miragem e a consistência de uma ilusão.
Ela, que adentrou um mundo mítico de fantasias, não esperava, que em seu Universo de sílfides, dríades, salamandras e ondinas, um anjo pudesse adentrar.
Mas sua presença trouxe ensinamentos, suas palavras mostraram que não há coração que se feche a algo tão sutil que o toque, como tocaram aquelas palavras.
Missão cumprida, o anjo voltou ao seu Universo divino, entre harpas, letras e canções e ela permaneceu onde estava, entre grata e confusa, sem saber por que ele partiu, sem, nem ao menos, entender o que houve...tudo pareceu tão sem sentido, fora da lógica que ela estabeleceu para seu mundo, onde não havia espaço para coisas tão intangíveis e abstratas. 
Talvez ela tenha levado tudo tão a sério, talvez ela tenha se confundido, talvez ela tenha sonhado...mas, o anjo deixou em suas mãos a fórmula mágica da saudade e a certeza de que algo mágico e especial aconteceu, ainda que breve e apenas verbal.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Simplesmente...magia...


A sensação de um encontro...reencontro...algo que transcende os limites da razão, da lógica, do plausível...um querer estar ali, sempre...constantemente em busca...à procura...não saber o que pode ser encontrado, mas, surpreender-se, a cada instante, com cada palavra...tentar fugir e descobrir que se está andando em círculos, talvez porque a vida, realmente, queira que se esteja ali, que se viva o que se apresenta logo adiante.
O que fazer? Render-se?Continuar tentando fugir?Prender-se nos confortáveis grilhões da indecisão???
Quem saberá? Nem eu, nem ninguém...que a vida responda o que minha mente recusa-se a revelar.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ciclos

Começos e recomeços...a vida funcionando de forma cíclica e perfeita, onde tudo tem sua finalidade, seu tempo, sua razão...
Sem questionar, sem me prender ao que virá, o que me importa é viver o Hoje...não importa como os fatos se apresentam, não importa se não parece muito racional, se foge aos padrões e critérios...na verdade, eu mesma me propus não me prender a princípios pré-estabelecidos.
O importante é ser e viver. Pagar para ver, consciente de que tudo tem, sim, seu preço, mas o preço da tentativa é, sempre, o aprendizado.

Arcanjo-Danni Carlos




Enquanto ela dormia
Ele a atentava
Em seus pensamentos

E quando a noite vinha
Ela temia poder cair
A qualquer momento

Porque a verdade aparece
Você vai ver
A verdade não esquece
Até dissolver
Uma lágrima quente
Que te fez chorar

Meu arcanjo anda armado
Pra me defender
E com seu corpo fechado
Põe pra correr
Toda sombra que cisme
Pousar do meu lado

Agora ela entende que ser valente
É ter paciência a cada minuto
Não basta somente querer tanto
Se as atitudes já diziam tudo

Preste atenção
Você vai ficar velho um dia
Aceito sua mão
Mas não caio em sua armadilha

Porque a verdade aparece
Você vai ver
A verdade não esquece
Até dissolver
Uma lágrima quente
Que te fez chorar

Meu arcanjo anda armado
Pra me defender
E com seu corpo fechado
Põe pra correr
Toda sombra que cisme
Pousar do meu lado


sábado, 7 de novembro de 2009

Íncubo



em meu quarto escuro,
apenas a luz da lua entrando pela janela,
um calor que não me deixa dormir,
a falta que meu corpo sente do seu,
de repente a porta se abre,
e te vejo vindo ao meu encontro,
seus olhos brilhando na escuridão,
como chispas em seu olhar,
seu sorriso cheio de promessas,
suas mãos ávidas para me tocar,
seu silêncio repleto de intenções,
diz mais do que as palavras que você cala.
você, meu íncubo, anjo da noite, deus do desejo,
invadindo meu quarto, sem pedir,
dominando meu corpo, me envolvendo,
me preenchendo, sem parar.
sua respiração quente e ofegante,
suas mãos fortes,
sua boca ansiosa,
seus beijos famintos,
eu, rendida, totalmente entregue a você.
nesse jogo mútuo que só nós sabemos jogar,
sem vitórias ou derrotas, sem regras,
apenas eu e você entre lençóis,
dois corpos em chamas que insistem em não se apagar.
céu e terra se encontram, entro em sua órbita,
me perco em você...
tudo gira ao meu redor,
enquanto possuimos um ao outro sem pensar,
tudo perde o sentido, o tempo deixa de existir,
e o conceito de espaço torna-se tão simples,
é aquele onde só nós podemos estar,
dois corpos em um mesmo lugar no espaço,
ao mesmo tempo, constante atividade,
total sintonia...eu, você, mesclados em nós mesmos,
somos apenas aquilo que nos fazemos sentir.
eu...você...e nada mais há além de nós dois.
de repente, somente a escuridão e meu quarto vazio,
os lençóis intactos, o travesseiro molhado de suor...
meu anjo da noite, meu íncubo apenas em sonhos me visitou,
saciando em outros mundos o desejo que sinto...
em uma outra dimensão, além da matéria, meu anjo...
senhor do meu mundo, meu grande e inatingível amor.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Um sonho, uma noite e nada mais



não posso me deixar levar,
me envolver pelos momentos
que nos embalaram.
não posso permitir
que uma única noite
revolucione toda a minha vida.
tenho que entender,
tenho que aprender,
tenho que jogar seu jogo,
as regras aí estão para serem seguidas,
eu e você, uma noite e nada mais.

tenho que dar as cartas,
antes que você apresente as suas,
pensar na próxima jogada,
antecipar seu xeque-mate.
suas palavras, seu corpo, seu beijo,
seus braços me envolvendo,
sua voz me seduzindo...
ingredientes prováveis
do elemento chamado paixão.

eu não quero amar,
não quero me entregar,
quero fingir...
pensar que nada houve,
quero fugir...
manter-me à uma distância segura
de tudo o que me leve a você.
não quero esperar você chegar,
não quero pensar que pode ligar,
pois, ao chegar, talvez não me note,
e, quem sabe, sua ligação nunca chegue...



não quero esperar mais do que tivemos,
aquilo foi tudo o que me ofereceu,
sedução, loucura, rendição,
horas e minutos intensos...
inesquecíveis, talvez,
e nada mais.


meu caminho está traçado,
meu destino determinado,
estabeleci objetivos,
critérios e princípios,
ontem fomos mais do que eu e você,
fomos além do que somos, geralmente.
hoje, voltaremos ao que sempre fomos,
conversas, formalidade...talvez, olhares...
e ontem terá sido apenas fruto da magia,
da lua, do vinho, do momento...
um outro eu, outro você...
hoje, à luz do dia,
talvez já não nos vejamos da mesma forma,
o gosto de novidade se foi,
vencemos no jogo da conquista,
a magia ficou onde deixamos,
em um lugar dentro da nossa lembrança,
junto com o vinho, a noite e o luar.

eu e você, não mais,
apenas eu, você e tudo o mais,
caminhos que seguem paralelos,
retas que talvez não se encontrem,
bons amigos e um segredo...
só entre nós e ninguém mais.
e que fique assim combinado,
a noite de ontem ficou no passado,
pode ser que aquilo não se repita jamais,
meu sentimento, resquício da magia,
ficará guardado,
meu caminho será percorrido,
meu destino será cumprido.

a primeira e derradeira poesia,
a qual você me inspirou,
letras que falam de um sonho,
um desejo, mas não de amor...
quem sabe um dia, outra noite, quem sabe...
sem compromisso, sem esperanças,
sem expectativas...
...nesse jogo as regras são claras:
ninguém é de ninguém,
ninguém perde, ninguém ganha,
sem posse, sem domínio...
lembranças, saudade...
a consciência de que foi um sonho,
a magia de uma quente noite de luar,
a benção dos deuses apenas naquele instante,
a certeza de que não há do que se arrepender,
do que nos culpar...
chegamos onde queremos chegar
e, também, para onde temos de voltar,
nossos lugares, nossas realidades, nossas vidas...
um sonho, uma noite e nada mais.